A Vida Continua…

/

imagem para MDC - Chico Sofia Catarina - P

 Chico, Sofia e Catarina ( 48 dias ) – Dezembro 2014

Há quem diga que tiramos menos fotos do segundo filho(a) do que um dia já tiramos do(a) primeiro(a)… e tudo isto graças à sapiência popular e perversa, de que tudo não é mais novidade.

Eu acho este tipo de afirmação uma maluquice, pois continuo amando tirar foto, registrar momentos, e agora… com crianças ao meu redor, estes momentos são os melhores, são supremos… e vão aos poucos compondo o grande álbum que gosto de chamar de : A vida continua…

Pra valer! Está ficando cada vez mais legal… apesar de tantas surpresas. Afinal, eu jamais imaginei que nossa primogênita fosse dar muito mais trabalho que a nova integrante da família.

Nem precisamos ir muito longe. Para os pais um novo neném não é novidade, e sim é uma aventura, lidar com a primeira cria aprendendo a repartir… não brinquedos ou roupas… mas afeto, atenção… disposição!

Descobri que crianças também lutam por território, e a briga pelo espaço, apesar de discreta, aqui em casa vem rolando a todo vapor! E eu, do meu patamar avançado de pai, reconheço que o tempo tende a ensinar a todos envolvidos, que o amor de verdade não se divide, e sim se expande, incrementa… extrapola e se torna no fim mais forte.

Para Saber Mais…

Em parte são minhas ideias relacionados a pessoas muito importantes para mim, ou a coisas que me afetam além do que deveriam.  Ou seja, é Intimo e Pessoal. No logo, o olho… e de minha mulher.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Previous Story

Para onde eu iria?

Next Story

Abu Dhabi nas Crônicas de Ivi

Latest from Catarina Medina

Banho de Mangueira

Banho de Mangueira – Catarina e Sofia – abril de 2018 Na minha humilde opinião: Um

Imitando o papai

2017 – Caca imitando o papai trabalhando Crianças aprendem por modelo? Sim! Em diversas situações, comportamentos

Meus 45 anos

Eu e a Sofia – 27 de outubro de 2016 Em todas as minhas passagens por

Amizade Verdadeira

Papai Chico está chegando à conclusão. Gostar de bicho deve ser uma aptidão que acompanha  o